Anna Carvalho – actriz, animadora e produtora em Teatro, Cinema e Televisão

anna carvalho_b

 by Ana Carrilho (ana.carrilho@portugalfantastico.com)

 

Á conversa com Anna Carvalho

Anna Carvalho nascida a 23 de Maio, trabalha como actriz, animadora e produtora em Teatro, Cinema e Televisão.

Terminou este ano o mestrado de Artes Performativas em interpretação, na ESTC e é licenciada em Audiovisuais.

Esta a trabalhar com a actriz Liliana Leite na Associação Zatara’s, que é a co-produtora da peça Death Cabaret.

A Liliana Leite, actriz e minha amiga fundou a organização Zatara´s que é uma associação de produção artística e cultural e que actualmente se encontra a desenvolver alguns projectos

A Anna viveu em Londres  “É a minha segunda casa, fiz lá vários Cursos/Workshops, o último foi em 2010, através do actor australiano Paul Raynor.

Os pais adaptaram-se às odisseias da Anna e apesar de não concordarem com a opção dela “não podiam proibir-me, porque eu ia na mesma.” Sorri.

Em 2008 fundou com Natacha de Noronha e Carlos Piecho o GTEATRO, companhia profissional de teatro que deixou em 2012, por motivos profissionais.

PF: Actualmente estás com uma peça em cena, Death Cabaret, o texto é original ou é uma peça adaptada de uma obra.

AC: O texto é original. A ideia foi colocada em prática juntamente com o Michel Simeão, responsável pela mostra de curtas Cortex em Sintra e do Teatro Reflexo

PF:Quando e em que espaço foi a vossa estreia?

AC:A nossa estreia foi no Teatro Turim no dia 13 de Maio de 2012.

PF:Vocês são caracterizados como polémicos, terrivelmente sensuais e voluptos. Como caracteriza a Anna, a si e aos seus colegas.

AC:Somos sensuais, por estarmos relacionado com o cabaret, e polémicos pela questão social e política que apresentamos.

PF:O trabalho e espirito de equipa foi bem sucedido?

AC:Com algumas dificuldades pelo meio, como em todos os projectos. Mas tem sido um grande desafio, enriquecedor e muito divertido. Por razões profissionais, alguns dos actores que formavam o primeiro elenco foram substituídos.

PF:Trabalhaste com a Companhia Inestética, uma estrutura financiada pela Câmara Municipal de Vila Franca de Xira.

AC:Sim, em três produções e digo isto com muito orgulho, porque sou fã incondicional do trabalho deles! Participei no This’s not a Fucking Happening do Alexandre Lyra Leite e trabalhei com a Rita Leite na peça Planeta das Palavras e JoanaDark. Tanto no This’s not a Fucking… como nesta última, tive o prazer de trabalhar com uma grande amiga e actriz Linda Valadas, em que interpretámos as duas a JoanaDark.

PF:Há duas Joanas…?

AC:Eu e a Linda somos a mesma Joana, mas a Linda interpreta a Joana guiada pela fé, guerreira, física e transcendente e eu a Joana sensível, mais vulnerável e desiludida com o país.

Esta Joana que nos prende com uma duração de 15 minutos, está descontextualizada no tempo e no espaço e encurralada.

Já estivemos no Teatro do Sobralinho em Vila Franca de Xira  e no Teatro Rápido.

PF:Identificas-te com a Joana guerreira ou a menos sólida e mais instável?

AC:Tenho um pouco das duas, mas hoje identifico-me mais com a instável. Sinto-me mais sensível e desiludida com o que está acontecer, mas não desisto, não faz parte da minha personalidade! No fundo, é a minha Guerreira que não me deixa desistir!

PF:A representação é muito diferente de outras profissões?

AC:É diferente, porque tal como outras profissões tem características únicas e que a distinguem. É diferente, porque um actor está mais exposto ao contacto com o público e ao mediatismo. Por outro lado, não é assim tão diferente, porque tal como a Medicina ou a Advogacia, também tem de haver muito trabalho, formação, amor e claro, talento! O problema é que algumas pessoas vêm esta profissão como uma rampa de lançamento para o sucesso, o ser famoso e assim ganhar dinheiro fácil. Não estou a generalizar, mas sabemos que este factor seduz muita gente e na verdade os actores não ganham assim tanto dinheiro! É, por vezes, um trabalho precário e inconstante que só a paixão, o Amor e o carinho do público, nos dão forças para continuar a lutar!

PF:Trabalhaste com que actores mais conhecidos do público?

AC:Com a Fernanda Serrano e Virgilio Castelo no Som do silêncio, com a Inês de Medeiros no Ossos do realizador Pedro Costa, com a actriz Paula Neves no Ajuste de Contas, Sandra Faleiro no Super Pai e Dancin’Days, José Raposo no telefilme Monsanto, entre outros…

PF:Estamos a viver agora uma crise geral, na tua visão , a cultura está a ser das áreas mais prejudicadas?

AC:Sim, o público retrai-se. Nós não somos um país como Inglaterra, ainda existe muita gente que não têm o hábito de ir ao teatro com frequência. Não é um bem primário, algo que elas sintam falta, logo não gastam dinheiro com a cultura. A crise tem prejudicado muitas produções, não há dinheiro para as companhias e a bilheteira não rende. Há poucos apoios por parte das câmaras, das juntas e algumas instituições, mas não podemos desistir, ficar de braços cruzados é morrer!

PF:E “a eternidade existe eterna na nossa alma”?

AC:A eternidade existe eterna na alma das personagens do Death Cabaret, que são imortais. Mas a eternidade também existe eterna na nossa alma. Só o facto de existirmos e de nos relacionarmos com as outras pessoas, marcam a nossa eternidade. Quando nos cruzamos com alguém, deixamos uma parte de nós e muitas vezes, mudamos o trajecto da nossa vida, a vida daquelas pessoas e mesmo depois de perdemos o contacto, ou  essa pessoa morrer, nós continuamos a recordar algumas das palavras, dos gestos, dos momentos vividos com ela. É por isso que eu acho que a nossa alma é eterna, porque somos marcados pela presença das pessoas (de alguma forma) e elas são para sempre recordadas!

Obrigado Anna pela tua colaboração com o Portugal Fantástico

 

Comente

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Ao continuar a navegação no site, está a aceitar o uso de cookies. Mais informação

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Fechar